domingo, 31 de agosto de 2014

domingo, 24 de agosto de 2014

Arqueologia das Américas

Fuente Magna "A Pedra de Roseta das Américas"
Tiwanaku, Bolívia. 
A Fuente Magna, como foi batizada pelo arqueólogo boliviano Don Max Portugal Zamora, é um vaso de pedra descoberto na região do Lago Titicaca por um camponês no final da década de 70. De acordo com o Doutor Clyde Winters que decifrou as os símbolos gravados no artefato, trata-se de inscrições Sumérias - Acadianas, de tradição Mesopotâmica. Os pesquisadores Yacovazzo e Arce também relataram sobre a descoberta:
“Estamos lidando com um objeto feito de acordo com as tradições da Mesopotâmia. Eles contêm dois textos: um em escrita cuneiforme e outro em língua semítica da região do Sinai, de possíveis influências cuneiforme. De acordo com os símbolos utilizados é um objeto que, evidentemente, pertence ao período de transição entre a escrita ideográfica e cuneiforme. Cronologicamente, isto nos leva à 3500/3000 A.C., o período sumério/acadiano.”

O Monólito de Pokotia - Tiwanaku - Bolívia
No anos de 2002, também na região do lago Titicaca, foi descoberta uma estatueta de pedra 
denominada de "Monólito de Pokotia". Clyde A. Winters, mesmo estudioso que estudou a Fuente Magna, identificou e traduziu as inscrições contidas na parte da frente e de trás das pernas da estátua que dizem que o artefato era considerado um oráculo Putaki, para o pesquisador, os caracteres gravados são de origem proto-sumérias.

Referências:
http://www.megalithic.co.uk/
http://www.yurileveratto.com/

Inscrições lapidares e Cidades Perdidas da Amazônia

Petróglifo de CUMPANAMÁ, enigmática inscrição localizada na beira do Rio Huallaga, afluente do Maranhão, vestígio das culturas pré-colombianas do alto Amazonas.
Referências:  http://rodrigorodrich.wordpress.com/


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Travessias

Rota das Baleias - Palhoça/Imbituba
Período de Realização: 19/07/2014 até 22/07/2014

O Grupo Manoa Expedições realizou no mês de julho mais uma travessia pelos "Caminhos antigos de Santa Catarina", percorrendo as trilhas do circuito turístico da rota das baleias desde a Praia da Pinheira em Palhoça até a Praia do Rosa em Imbituba no litoral sul do estado. Foram quase 50 Km de paisagens de tirar o fôlego, onde a equipe captou imagens dos diversos ecossistemas da região costeira, incluindo a visita a diversos sítios arqueológicos. 
Abaixo uma pequena descrição detalhada do roteiro, para informações sobre traçado e coordenadas para GPS entre em contato pelo e-mail  - institutomanoa@gmail.com. 

RESPONSÁVEIS:
Fotografias e imagens: Wlademir, Jonathas, Indioê
Navegação GPS: Tiago.
Apoio: Jeferson e André.





Primeiro Dia – Sábado 19 de julho.

Iniciamos a caminhada no final da tarde no Costão da Praia da Pinheira onde fotografamos algumas bacias de polimento, vestígios das oficinas líticas que se encontram bem no começo da trilha. Contornamos o costão rochoso, atravessamos a Praia de Cima,  e seguimos pelo caminho até a ponta das gaivotas, local onde existe uma inscrição rupestre. Contemplamos o sol se por detrás da Serra do Tabuleiro e aproveitamos os últimos raios de luz do dia para subir o morro da Praia do Maço, onde montamos acampamento.






Segundo Dia – Domingo 20 de Julho.

Ao amanhecer descemos o morro pelo Vale da Utopia na trilha para Guarda do Embaú. Ao chegar ao costão encontramos água corrente que desce das montanhas e precipita-se em uma pequena queda para se encontrar com o mar. Local muito bonito, onde notamos uma bacia de polimento isolada. A poucos metros deste local identificamos um casqueiro. Seguimos pela trilha que passa pela prainha até o costão da guarda, onde no final encontramos várias panelas de bugre e uma inscrição rupestre. Atravessamos o rio da Guarda e seguimos caminhando pela areia até a Praia da Gamboa. Na foz do rio da Gamboa coletamos informações sobre um sítio arqueológico descrito neste local como de tradição Guarani, onde foram encontrados na década de 60 vários fragmentos de cerâmica. O Senhor Jair, que trabalha no terreno onde foram encontrados os artefatos, mencionou ter desenterrado algum tempo atrás dois jarros de barro, também  lembrou  ter visto alguns crânios e ossos humanos. Partimos, subindo a trilha que margeia o costão da Gamboa, porém não encontramos passagem nem pelo costão, nem por trilhas. A noite chegou e montamos acampamento no alto de um morro descampado.  

Terceiro Dia – Segunda 21 de julho.

O sol nasceu no horizonte junto a Ilha do Coral. Coletamos informações e continuamos a caminhada rumo a praia do Siriú. O acesso a trilha fica junto a estrada geral da Gamboa, no final do calçamento. Atravessamos o Siriú e o centro histórico de Garopaba até o morro da Silveira, onde seguimos por uma trilha bem confusa contornando a Ponta do Galeão até a Praia da Silveira. Continuamos pela praia até o costão sul onde desviamos pela estrada até alcançar o caminho do rei que dá acesso a Praia da Ferrugem. Seguimos contornando a lagoa da Ferrugem até a Barra onde está localizado o morro do sambaqui. No local existem várias estações líticas, incluindo bacias de polimento, amoladores e brunidores. Continuamos pela praia da Barra pegando o caminho das Dunas até alcançar a praia do Ouvidor. Acampamos no local próximo ao riacho que deságua junto ao mar onde encontramos bacias de polimento.

Quarto Dia – Terça 22 de julho

O nascer do sol junto ao mar do Ouvidor deu início ao quarto e último dia de travessia. Após atravessar a praia, seguimos pela trilha do ouvidor contornando o morro até a praia Vermelha. Deste local, já em Imbituba a trilha se encontra bem sinalizada, tendo grande parte do trajeto recebido calçamento de pedra. Seguimos então até a praia do Rosa onde finalizamos nossa caminhada.







sexta-feira, 1 de agosto de 2014


The Cities Programme is very pleased to welcome four new city participants from the Brazilian State of Santa Catarina, who have come to the UN Global Compact with an impressive, impact-filled start.
In a meeting of the cities’ Mayors in November 2013, which was  facilitated by the Consórcio Intermunicipal Quiriri, the cities of Campo Alegre, Corupá, Rio Negrinho and São Bento do Sul collectively agreed to commit to the ten principles of the Global Compact on  human rights, labor, environment and anti-corruption.  They were also supported in this commitment by a number of private  and civil society organisations.
This collective initiative has since grown to the establishment of ‘Movimento Quiriri Sustentável’, which will work  cross-sectorally and strategically  under the umbrella of the Cities Programme to develop the territory which is around the Upper Negro River basin. This is also being coordinated by Consorçio Intermunicipal Quiriri.
 

Leia mais em:
http://citiesprogramme.com/archives/6304


Página Seguinte » « Página Anterior Página inicial