Arte Rupestre



A escrita Pré-histórica Brasileira
A escrita pré-histórica brasileira está registrada em petroglifos espalhados por todo território do país. Ela se manifesta de várias formas onde predominam os sinais pictográficos e os sinais ideográficos. "Há nas rochas do Brasil, escreveu Costa Lira, duas espécies de inscrições: a esculpida e a pintada. Ambas são representadas por traços e caracteres desconhecidos, como uma imitação da escrita cuneiforme; porém a primeira, isto é, a esculpida, representa uma variedade de figuras geométricas muitas das quais perfeitas, algumas parecendo-se muito com certas letras do nosso alfabeto, outras com números arábicos. A segunda, isto é, a inscrição pintada, representa grosseiramente objetos pintados por mão mais rústica.

Arte Rupestre da Ilha do Campeche
A Litoral de Santa Catarina  possui um dos maiores conjuntos de Arte Rupestre das Américas, só na Ilha do Campeche foram catalogadas 167 sinalizações rupestres. Os petróglifos foram esculpidos segundo os pesquisadores utilizando a técnica de abrasão(polimento) ou ainda segundo Comerlato(2005) picoteamento, raspagem ou incisões finas feitas nos diques de diabásio também chamado "Pedra Ferro".
Painel rupestre da Ilha do Campeche - foto: Instituto Manoa


Petróglifos do Monte Crista
 Também na Serra do Mar são encontrados petroglifos que ainda não foram decifrados. Muitos deles, tem sido atribuídos ao período colonial, mas existem estudiosos que remetem essas inscrições aos povos pré-históricos e ao antigo Caminho de Peabiru.

Escrita Ideográfica
 A “Pedra da Ceee” é um bloco arenítico de cerca de 30 kilos que contém inscrições rupestres em baixo relevo, técnica rara em se tratando de petróglifos brasileiros. Foi descoberta por operários há cerca de 40 anos durante a construção da barragem da Usina Hidrelétrica de Itaúba, no Rio Grande do Sul.


Arte Rupestre do Malacara - Praia Grande -SC
Este petróglifo foi localizado junto aos Taimbés da Serra Geral, no leito do  Rio Malacara, município de Praia Grande, divisa entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As gravuras foram feitas em um bloco de basalto. De acordo com Campos et al.(2012) que registraram o sítio:
“Até o presente momento não foram feitas escavações no entorno do bloco, motivo pelo qual não ainda não sabemos o tamanho real, nem tão pouco se as gravuras ocorrem em mais de uma face. Aparentemente as gravuras estão concentradas na face de maior tamanho e se estendem lateralmente em profundidade, pelo menos na face superior e lateral direita, considerando como referência a margem direita do rio”.
Pesquisadores acreditam que a região possui vestígios de ocupação por povos caçadores e coletores desde há 8000 anos.
Referências: Revista Tecnologia e Ambiente, Dossiê Arqueologia, Ambiente e Patrimônio, v. 17, 2011, Criciúma,Santa Catarina. ISSN 1413-8131. Disponível em: http://periodicos.unesc.net/index.php/tecnoambiente/article/viewFile/1212/1168

0 comentários:

Página inicial