segunda-feira, 18 de maio de 2015

EXPEDIÇÕES - Península do Saí


No mês de maio a equipe de Expedições do Instituto Manoa percorreu os caminhos históricos da Península do Saí. A expedição que passou pelos município de Itapoá e São Francisco do Sul localizou vestígios de sítios arqueológicos como Sambaquis e ruínas históricas do período colonial.
Na  Praia Bonita encontramos os vestígios do Falanstério do Saí(1), ruínas de uma construção feita á base de óleo de baleia e conchas, com paredes de até 30 cm de espessura. De acordo com os relatos históricos, estas ruínas localizadas a beira mar seriam da antiga casa Picot onde nos anos 1840 viveram três famílias que trabalharam na abertura de caminhos para o interior da colônia industrial.

Na Vila da Glória, nas proximidades de um antigo porto, em um local chamado de "mangue seco", onde existem vestígios de um Sambaqui, encontramos ruínas de antigas construções que de acordo com os moradores locais pertenciam a uma Senzala. 

Ainda na região da Vila da Glória, na estrada da Serrinha visitamos o Casarão Bachmeyer construído em 1901 e hoje atrativo turístico local, que da acesso a trilhas com cachoeiras e ao caminho para o Morro de Cantagalo(2).  

Mapa - André Kastner - Instituto Manoa


Esta expedição contribuiu  para o desenvolvimento do projeto “Roteiros históricos do Litoral Catarinense.

1 - O Falanstério do Saí ou Colônia Industrial foi uma comunidade experimental de ideias socialistas formada em 1841 por colonos franceses.
2 - O Morro do Cantagalo é famoso e muito procurado devido as lendas locais sobre a existência de tesouros Jesuítas e avistamento de fenômenos sobrenaturais. 

Mais informações:

Fourier: Utopia e Esperança na Península do Saí 

A Lenda da Pedra do Cantagalo

Página Seguinte » « Página Anterior Página inicial

0 comentários: