domingo, 27 de outubro de 2013

Sambaqui

Os sambaquis em Balneário Piçarras

    No município de Balneário Piçarras, litoral norte de Santa Catarina restam poucos vestígios  da cultura dos povos do Sambaqui que viveram na região em épocas remotas. Alguns desapareceram por completo e nem chegaram a ser catalogados. No livro Panorama Arqueológico de Santa Catarina organizado por Deisi Scunderlick E. de Farias e Andreas Kneir, encontramos referência a um sítio catalogado  denominado Santo Antônio que teria sido encoberto por Lagoas da piscicultura. Visitando a localidade de Santo Antônio e coletando alguns depoimentos descobrimos que deveriam existir vários sambaqui na região que acabaram sendo destruídos quase por completo. Moradores locais relatam que na Rua Sambaqui, onde está localizada o campus da Universidade  Do Vale do Itajái - UNIVALI,  teriam existido vários monte de conchas que foram retirados durante a construção do prédio que hoje abriga a universidade. Também nas proximidades do campus encontram-se alguns vestígios de conchas soltas na terra preta próximo ao Rio Piçarras que podem fazer parte de um sambaqui fluvial. Ainda no bairro Santo Antônio foi descoberto recentemente várias camadas de conchas que foram reviradas por uma máquina durante a limpeza de um terreno. As conchas foram misturadas com cascalho de construções antigas e estão espalhadas por quase todo o terreno. Observamos algumas camadas bem agrupadas constituídas de ostras, cascas de moluscos e terra preta arenosa.


 Texto e fotos: Wlademir vieira



Página Seguinte » « Página Anterior Página inicial

3 comentários:

Fabio Krawulski Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabio Krawulski Nunes disse...

Parabéns pelo artigo sobre este vestígio de sambaqui e gostaria de fazer uma ressalva sobre a questão sambaqui costeiro X fluvial. Mesmo não conhecendo o conteúdo do livro "Panorama Arqueológico de Santa Catarina", vendo as fotos publicada por vocês e também levando em conta a localidade e o próprio rio Piçarras visualizado através de mapa virtual, as características deste local remonta se tratar de um sambaqui costeiro e não sambaqui fluvial devido ao tipo de concha tipicamente marinha e naquele ponto do rio desde os tempos antigos até os dias atuais sofra influência direta das marés. Aqui em Santa Catarina, os sambaquis fluviais comprovadamente existentes partindo desta região fica num raio de 100 quilômetros e que tenho conhecimento são o sítio Itacoara (que vocês publicaram também aqui e fica na margem esquerda do médio rio Piraí em Joinville, distante 30 quilômetros do mar), na cidade de Ibirama no médio vale do rio Itajaí e já nos planalto entre os municípios de Rio Negrinho, Doutor Pedrinho e Rio dos Cedros.
Desconhecia este sambaqui publicado por vocês, porém, existe uma referência bibliográfica intitulada: "Estudos históricos: Edições 5-6; - 1966" que fala sobre um sambaqui na cidade de Penha (poderia ser inclusive este aí de Piçarras quando a cidade naquela época tinha sido recém emancipada de Penha em 1963). O trecho da publicação se encontra abaixo:

"No litoral de Itajaí, dos sete sambaquis reconhecidos, resta, ainda, para ser estudado cientificamente o da Armação do Itapocorói (município da Penha), apesar de bem danificado."

Espero ter contribuído, valeu!

wlad2012 disse...

ok Fábio obrigado pela contribuição, em breve estarei publicando um material mais completo sobre os sambaquis de Piçarras. Porém posso te adiantar que este sambaqui que foi fotografado por mim foi descoberto recentemente na ocasião da terraplanagem de um terreno que deverá em breve virar um condomínio! grande abraço!