domingo, 14 de junho de 2009

A pirâmide inca do morro do Araçoiaba




Na região de Sorocaba, interior paulista, onde se encontra a cidade de Araçoiaba da Serra e a Floresta de Ipanema, está localizado o morro do Araçoiaba. O Nome Araçoiaba, é originado do tronco lingüístico Tupi antigo, que significa:"lugar que esconde o sol". A altitude no ponto mais elevado é de aproximadamente 900 metros acima do nível do mar.A cobertura vegetal é rica pela diversidade de espécies, podendo-se encontrar representantes da Mata Atlântica. Floresta Tropical, Cerrado e transição, O subsolo apresenta importantes jazidas de certos minerais abordando magnetita (minério de ferro), calcário de ótimo teor, xisto argiloso, apatita (fosfato), diorito (pedra verde), granito em abundância, além de imensas lages de grés, mais conhecido como arenito glacial de cores e texturas diferentes. Toda essa riqueza mineral tem provocado a exploração por centenas de anos das jazidas minerais da serra do Araçoiaba, começando pelo bandeirante José Afonso Sardinha que desbravou a região no final do século XVIII, onde entrou em conflito com os habitantes naturais da região, os índios Tupiniquins. Em 1810, Dom João VI, criou por decreto oficial o "Estabelecimento Montanhístico de Extração de Ferro das Minas de Sorocaba", que originou o primeiro empreendimento siderúrgico de caráter industrial do continente americano, que funcionou até 1895. As ruínas da antiga fábrica de ferro ainda se encontram bem conservadas e fazem parte dos atrativos históricos da região. Mas o que mais desperta a curiosidade do visitante do Araçoiaba são os vestígios históricos pré-colombianos encontrados no local. Curiosas formações rochosas como uma suposta pirâmide construida pelos incas no topo do morro; dois supostos dolmens que estão orientados exatamente na mesma direção, além de segmentos empedrados do antigo caminho do Peabiru são citados desde há séculos pelos desbravadores da serra do Araçoiaba como o médico naturalista francês, João Maurício Faivre, fundador da Colônia Tereza em 1847, que mais tarde originou o município de Cândido de Abreu, e que publicou em 1855: Quando abria no Ivahí a estrada entre Colônia Santa Teresa, Ponta Grossa e Guarapuava, descendo para o litoral paulista, encontrei um caminho de terra batida que pensei ser aberto por jesuítas da Companhia de Jesus, e que, em verdade, é de origem ignorada. Nas proximidades da cidade de Sorocaba, no interior, no morro de Araçoiaba, descobri uma verdadeira“pirâmide”, recoberta pela terra e pela vegetação, a qual, penso que seria um sinal de orientação aos caminhantes”. Tempos depois, nesta “pirâmide”, alguns pesquisadores locais teriam constatado a existência de ideogramas desconhecidos e foram brindados também, com estranhas descobertas de cerâmicas indígenas, incisas e de fino talhe, bem como inúmeras urnas funerárias ou igaçabas.No livro de José Monteiro Salazar “ Araçoiaba e Ipanema” também encontramos relatos intrigantes a respeito dos vestígios:
..."Citaríamos, ainda, uma estranha pirâmide que exite no morro de Araçoiaba, aparentemente obra da natureza, mas onde pode-se notar, investigando bem, a existência de pedras formando verdadeira escada até seu topo. Ao lado, há um montículo menor, com uma abertura e pela qual, seguindo-se um corredor, percorre-se todo o trajeto subterrâneo em torno de um núcleo. é como se se colocasse uma tigela dentro de outra muito maior.
Fato singular: em Machu Pichu, no Peru, próximo a Cuzco, cujas ruínas ainda não são bem explicadas, há um Monte-Pai e um Monte-Filho. Outro fato interessante: "Machu-Pichu significa "O lugar que esconde o sol". Essa é também a significação de Araçoiaba em Tupiniquim, ou antes, em tupi.
Apesar de hoje em dia ser protegida pelo Ibama, a serra do Araçoiaba continua sendo explorada pondo em risco a conservação de seus importantes sítios históricos, atualmente a região abriga uma base da marinha (ARAMAR)que trabalha com enriquecimento de urânio e produz motores para submarinos nucleares.A fim de resgatar e preservar o patrimônio histórico brasileiro, o Grupo de Estudos Manoa publica suas pesquisas para divulgar a riqueza histórica de nosso país, e a falta de interesse das autoridades competentes em preserva-las.
(Wlademir Vieira-Pesquisador do Grupo de Estudos Manoa)
Página Seguinte » « Página Anterior Página inicial

2 comentários:

omega.vertical disse...

Boa Noite,
Gostaria de saber se ja foram efetuadas pesquisas nas ruinas da referida piramide, onde indica o uso de equipamentos de escalada para descidas verticais? Existiu ou, existem camara ou galerias profundas nesse morro que ainda nao tenham sido exploradas?

Marisa Lima disse...

Olá
Morro em Araçoiaba , bem proxima ao Morro, faço trilhas e tbm estudo sobre a trilha de Peabiru.
Ja fui até essa entrada da piramide estou tendo alguns contatos com pesquisadores nas culturas pré colonbianas, podemos juntar informações.

Marisa Lima
Araçoiaba da Serra
marisaterapia@terra.com.br
yinyang2005@hotmail.com